O Coritiba que queremos independentemente do presidente:


Por que continuar?

Desde 2018, utilizamos da austeridade e da responsabilidade para sanear o Clube. Tivemos que sangrar e também não somos o primeiro grande clube que sangra dessa forma. Temos consciência da história do Coritiba e, sobretudo, do seu tamanho. Precisávamos atrair a torcida para sermos mais fortes. E foi o que conseguimos fazer em 2019. O Coritiba é da sua torcida e ela precisa entender o momento do clube dela, para colher frutos no futuro.

Não queremos o poder centralizado. Queremos uma estratégia de clube que dê vazão aos desejos da torcida, visando sempre ao futuro sustentável e responsável da instituição Coritiba Foot Ball Club, independentemente de quem seja o Presidente.

Não é de hoje que o Coxa se encontra em uma situação fragilizada. Na prática, vivíamos apenas postergando o problema, um presidente passando a bucha para o próximo. Em algum momento, alguma gestão teria que sangrar para arrumar a casa. E essa gestão foi a Coritiba do Futuro – hoje, Coritiba Responsável.

Sabíamos das críticas que viriam dessa decisão, e as compreendemos totalmente. Sabíamos também que os nossos opositores políticos iriam se aproveitar da fragilidade em campo, pois fora dele estamos colhendo excelentes frutos. Mas as decisões estratégicas do grupo são imutáveis. O Clube precisava passar por esse processo para voltar a se reerguer. Por isso, pedimos a compreensão dos sócios e da torcida que, assim como nós, só querem o melhor para o Coritiba.

Nossas premissas sempre foram Organização, Desenvolvimento e Conquistas. Se colocássemos as Conquistas em primeiro lugar – é claro que gostaríamos –, talvez tivéssemos criado uma ilusão que comprometeria completamente o futuro do Clube. Era preciso responsabilidade. Primeiro, arrumar a casa. Depois, os resultados nos gramados viriam naturalmente.

Sócio, torcedor, somos como vocês. Cansamos de ficar nas arquibancadas sofrendo e procuramos nos informar. Procuramos conhecer. Procuramos assumir o Clube – e assumimos. E é pelo futuro dele que trabalhamos incansavelmente durante os últimos 3 anos. Seria muito fácil gastar o que não se tem. Seria muito fácil fazer promessas. Mas não seria nada responsável com o futuro do Clube.

Nossa experiência é intangível. Trabalhamos com responsabilidade para organizar e planejar o futuro Coritiba. Para colocar tudo em ordem e abrir as portas para os resultados entrarem. Agora, chegou a hora de eles entrarem.


O Coritiba tem que ser um só

Buscamos a união política, que não houve, pensando em ter um só Coritiba. Precisamos ter equilíbrio e responsabilidade nas tomadas de decisão do nosso Clube.

NÃO HÁ UNIÃO POLÍTICAO CORITIBA TEM QUE SER UM SÓSEM DÍVIDAS IMPAGÁVEIS

Nossas principais fontes de receita

A dependência da cota de TV (se ela não é extremamente alta) é um sinal de ineficiência operacional. Essa ineficiência reflete o quanto um clube consegue performar de forma mais eficiente com os produtos e serviços relacionados aos seus sócios e torcedores, e também como ele atua no mercado com a venda de atletas e patrocínios.

Um dos nossos objetivos para sanear o Clube é vender entre dois a três atletas por ano. Essa receita, dependendo de como for trabalhada, pode virar extraordinária, sendo muito acima da receita orçada (anual). Isso será uma das perspectivas de ganho.

Ainda, por mais que tenhamos investido em nosso estádio e em nosso CT, precisamos de muito mais investimentos para colocar e adequar os mesmos para as mais modernas práticas do futebol mundial, alinhados principalmente a processos e à ciência de dados.

O caminho é longo, mas a fórmula dos clubes vencedores é essa. Queremos e precisamos da sua confiança para continuar nesse caminho.


Composição média das receitas (2014 a 2018) em %

COMPOSIÇÃO MÉDIA DE RECEITAS


Plano de gestão 2021 a 2023

Nosso Plano de Gestão está dividido em 5 pilares que sustentam o nosso negócio e são fundamentais para o futuro do Clube. Somos um clube de futebol e por isso este item do plano teve um item exclusivo no menu. Dar atenção e ter projetos definidos para cada um deles é fundamental para um sistema de Governança, Planejamento e Execução.

Acreditamos no Planejamento Estratégico da Instituição do Clube, e não de um movimento. Nosso projeto é propositivo, ele deve ser levado a uma atmosfera estratégica, de forma apolítica, para quem quer que seja o presidente tome as melhores decisões estratégicas (longo prazo) para o Clube. Confira abaixo cada um dos pilares, de forma clara e objetiva.


Temos como meta vender R$ 150 milhões em atletas no processo triênio.


1 – FINANÇAS

Promovemos a maior preocupação da história do Clube com as suas finanças. Ao longo de décadas, sem uma gestão austera e com profissionalismo, o Clube praticamente ficou inviável e insustentável. Encontramos um Clube na segunda divisão, com um passivo gigantesco e sem condições de equalização no curto prazo. Nossa energia se dividiu muito em pagar contas.

A dinâmica do mercado foi alterada. Os clubes perderam a Caixa Econômica Federal, que investia valores significativos. O mercado de material esportivo teve uma nova dinâmica de negociações, tivemos que investir em uma marca própria. As cotas de TV já não possuem as mesmas dinâmicas e, em virtude da pandemia, o que estava previsto para ser revisto somente em 2024, foi antecipado para agora.

A consequência é uma estratégia de manutenção de resultados negativos (déficits), tendo que pegar empréstimos em bancos e/ou promovendo antecipações de receitas em ciclo vicioso. E o pior, o Clube refém de seu tamanho com uma capacidade inferior de geração de receitas se comparada aos clubes com maiores torcidas do Brasil.

É necessário entender a realidade antes de pensar que o ideal é só apresentar projetos e intenções. A realidade é bem diferente dos sonhos. O Clube sofreu diversas penhoras online, o que devastou todo o seu planejamento financeiro.

2- MARKETING

O foco é a geração de receitas com a monetização dos ativos do Clube com estratégia e inteligência de dados.

Desde o ano passado, pode-se perceber uma alteração na forma de condução de suas políticas de vendas de ingressos e sócios. Tudo isso faz parte de uma estratégia robusta para aproximar a torcida do Clube, ajudando na complexa imagem institucional e atraindo novos parceiros e patrocinadores.

A área de Marketing foi reformulada e transformada em Diretoria de Marketing. Hoje ela é responsável pelos seguintes pilares:

Nosso Plano de Ação:

3 – PATRIMÔNIO

4 – OPERACIONAL